domingo, 29 de agosto de 2010

ah, a pré adolescência....


Ando comentando com minha irmã como hoje em dia as crianças estão crescendo cedo, a pré-adolescência tá cada vez mais rápida, e a gente tava falando sobre desenhos legais para meninos e meninas, que sejam divertidos mas que ainda mantenham a infância das crianças.


Aí hoje acordei pensando, do nada, nos anos 80. Tudo isso porque ontem participei de uma entrevista sobre uns problemas de saúde que aconteceram comigo, e a menina perguntou se alguma vez eu me perguntei "Porque eu?" ou questionei a vida ou Deus, e eu disse que não, que sofri mas não tive essa rebeldia...

Aí acordei com músicas dos anos 80 na cabeça... em 198o eu tinha 6 anos... e lá estava o rock nacional, e era isso que a gente ouvia nas festinhas de play, Amarante tá aqui pra não me deixar mentir....
as músicas dessa época me tornaram uma rebelde... total... contra a sociedade, contra meus pais, ia aos almoços de família com walk-man no ouvido, em protesto...


Em 85 Legião lançou seu primeiro álbum... 11 anos de idade, pré-adolescência...

Você, amiga mãe moderna, tá tensa que seu filho ou filha tá emo, sente essas frases, que eu cantava como se não ouvesse amanhã, como se Renato Russo estivesse sentindo cada dor de minha alma:

"Tire suas mãos de mim, eu não pertenço a vc, não é me dominando assim, que vc vai me entender... eu posso estar sozinho, mas eu sei muito bem aonde estou, vc pode até duvidar, acho que isso não é amoooooor!!!"

era pura raiva contra meus pais e todos os ditadores do mundo, eu queria ser livre!!!


"Vc é tão esperto, vc está tão certo, mas vc nunca dançou com ódio de verdade", e sacudia meus cabelos explodidos pré escova progressiva nas festas de play...

"Geração Coca-Cola" dispensa comentários... "somos os filhos da revolução, somos burgueses sem religião", cantado a plenos pulmões sofridos de uma criança (?) ....

mas a parte que eu mais amava era:
"depois de 20 anos na escola, não é difícil aprender, todas as manhas do seu jogo sujo, não é assim que tem que ser, vamos fazer nosso dever de casa (me empolgava muito com isso) e aí então vocês vão ver, suas crianças derrubando o rei, fazer comédia no cinema com as suas leis!!"....

Imagino a cara de nossos pais... de meus pais... nunca fui de lembrar muito dessa época prq realmente sofria... mas hoje tenho a curiosidade de mãe de saber o que eles achava daquilo....
"Já estou cheio de me sentir vazio... meu corpo é quente, estou sentindo frio".... oi?

"Soldados" era assutadora... afinal cresci meio sem entender tantos filmes sobre Guerra do Vietnã, mas sabia que aquilo era sofrimento e dor... "quem é o inimigo, quem é você?", cantado repetidamente pela voz de R.R., me fazia tremer e duvidar de mim mesma.... mas o inimigo era sempre o "sistema", rs,rs,rs.. com 11, 12 anos, sistema de quê, Jesus? e me lembro de odiar quem não entendesse essa minha dor, ou quem fizesse piadas sobre minha crise...

"Teorema" diz: "Não tenha medo, não preste atenção, não dê conselhos, não peça permissão... é só vc quem deve decidir o que fazer pra tentar ser feliz."

"Se lembra quando a gente, chegou um dia a acreditar, que tudo era pra sempre, sem saber que o pra sempre, sempre acaba?"
cantava gritando: "e o teu medo de ter medo de ter medo, não faz da minha força confusão"..... LOUCA, rs,rs,rs
pára, aí vem a máxima: "quanto tempo disperdicei quando o que eu mais queria era provar pra todo mundo, que eu não precisava provar nada pra ninguém"... estava na sexta série....86...
Lembro de cantar "e eu odeio Química, Química, Química!!!", mas nunca havia aberto um livro de química na vida, e daí?
"Somos tão jovens, tão joooooooveeeeeeeeens", e a gente rodando pelo play, dançando igual maluco, ou nas discotecas da AABB, ou do Clube Germânico.

E"Índios"? manda a criança pra terapia, meu povo!!

em 87 sai "Que país é esse?".... eu me revoltava, mas não entendia muito...

tinha uma música cujo título eu adorava, e era auto-explicativa: "Tédio com um T bem grande pra você!"....

Em "Conexão Amazônica", adorava: "O que eu quero eu não tenho, o que eu não tenho eu quero ter, não posso ter o que eu quero, mas isso não tem nada a ver", e depois falava que a cocaína não ia mais chegar.... não sei quanto a vocês, mas eu como mãe teria surtado um pouco, rs,rs,rs


"Depois do Começo" é a música que mais gosto... é doida, mas termina com uma frase que me impressionou "e depois do começo o que vier vai começar a ser o fim"...... e ponto.

Daqui a pouco vc escuta seu filho cantar "sexo verbal, não faz meu estilo...".... oi?, como assim? Justin Bieber parece canção de ninar, de uma hora pra outra, rs,rs,rs

"Faroeste Caboclo" era assustador..."Angra dos Reis" mais ainda, era terror puro...


No final de "Mais do Mesmo", uma frase que eu curtia: "e enquanto isso, na enfermaria, todos os doentes estão cantando, sucessos populares"....


O disco seguinte, de 89, não me impressionou tanto... mas "Pais e Filhos" foi marcante pra todo mundo.... "meu filho vai ter nome de Santo, quero o nome mais bonito"... valeu, RR, meu filho tem nome de Santo e de raça de cachorro!!!

mas aposto que muitos pais ficaram arrepiados ao nos ouvir cantar animados: "e eu gosto de meninos e meninas".... tudo muito moderno, rs,rs,rs


Mudando de tom, em 1985 (eu com 11 anos), saiu o disco do Ultraje a Rigor... melhor coisa das festinhas....


E em "Rebelde sem Causa", com irreverência eles captaram esse momento de necessidade de libertação, de revolta: "meus pais não querem que eu fique legal, meus pais não querem qu eu seja um cara normal, não vai dar, como é que eu vou crescer sem ter com quem me rebelar?"........ gênio......

aliás, vcs sabiam que Roger é superdotado? tem um QI elevadíssimo, faz parte de um grupo mundial de gênios... não é o máximo que ele tenha nos dado a maravilha "Marylou"?


Imagino meus pais me ouvindo cantar essa música com minha turma de 5ª série, a letra toda.. e ainda tenho a bela memória de minha avó me explicando que "babaca" na terra dela significava os órgãos sexuais femininos, mas não com essa fineza toda... queria trauma? ganhei um, rs,rs,rs,

e depois em 87 "Eu gosto é de mulher", "Sexo", "Pelado".... Jesus, pobres pais!!

Voltando, em 86, um disco do "Engenheiros do Hawaii" (pausa para reflexão), que cantava aos berros "Toda forma de poder é uma forma de morrer por nada!"..... e com 12 anos, cantava com a força de uma revolucionária....

"Infinita Highway" me fazia chorar, sério, era demais.... nem sei porque, rs,rs,rs


e a frase "a juventude é uma banda numa propaganda de refrigerantes"? me fazia sofrer diante da minha condição oprimida, rs,rs,rs...


"um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão, sem querer eles me deram as chaves que abrem essa prisão" (opa?)

e a melhor: "Ei, mãe, eu tenho uma guitarra elétrica...." pobre mãe, rs,rs,rs


tudo isso pra lembrar que cada geração tem um desafio, e que os pais também enfrentam essas mudanças... não dá pra julgar a qualidade da música nesse momento, e sim a emoção que ela traz pra os filhos.... como e porque eles se identificam com elas.

porque pra meus pais deve ter sido difícil ouvir a filha cantando "parece cocaína, mas é só tristeza...."... pensa bem... o que eu faço?, inspeciono a mochila?, proibo de ouvir?, levo pro terapeuta?....

e no fundo não tinha nada a ver com droga, coisa que eu caretérrima e cagona, nunca experimentei... tinha a ver com a tristeza, mas daí a eles entenderem e ficarem tranquilos, né?

por isso não curto festa ploc... ali está a parte escrachada dos anos 80, e pra mim essa época foi de dor e reconhecimento de tristezas...
Nem entrei no assunto Madonna chocando a sociedade e a gente cantando alto, sem a menor noção das coisas, rs,rs,rs, livres, livres......

Hoje em dia o mundo de quem tem 11 anos é mil anos luz a frente, mas isso é uma outra filosofada......

esse post continua depois, porque senão vou escrever um livro...


bom dia, bom domigo, bom almoço em família, com rebeldia ou não, rs,rs,rs

6 comentários:

  1. DEMAIS!!!!
    Ótimo domingo pra vc Aninha!

    ResponderExcluir
  2. ADOREI! me fez pensar no que nossos filhos estarão ouvindo e como influenciará (ou não) suas rebeldias... Bom saber que vivemos esse tempo mágico of the eighties, que essas e outras músicas, e roupas e manias, nos tornaram pessoas sãs... (ou não) rsrsrsrs
    Muito bom...
    Tenho um amigo, o Henrique Rodrigues, que publicou um livro com crônicas sobre as letras da Legião... vale a pena ler...

    ResponderExcluir
  3. Gente, choquei... tinha momentos rebeldes e escrachados dos 80... não quero pensar ainda na adolescencia... vai demorar uns 6 anos ainda...! só??? socorro!! hahahahaha!!!!! bjs

    ResponderExcluir
  4. Quando continua, Hermione?
    Pra mim, Legião fez sentido mais tarde. Você se lembra que eu só entrava na pista de dança no fim da festa com a Beth Carvalho?!?
    Sandra, já andava namorando o livro numa livraria da rua México. Acabou de me convencer.
    Harry
    (Em crise de identidade depois do pedido do Bernardo. Nem pensar em lua cheia...)

    ResponderExcluir
  5. Harry,
    lembro de quando usávamos vassouras não apenas para voar, mas como porta-estandarte no sambão das festas de play...
    Beijos,
    Hermione

    ResponderExcluir